Avisos (importantes!) do Netuno!

 Yo! Passando para bater aquele papo. 

 Infelizmente (para mim :c), A Flor de Lótus vai ser deixada um pouco de lado a partir de agora. Tem 1(!) leitor, caras :l, então eu vou me focar nas outras duas novels que eu tenho em mente (e rascunhos) a partir de agora. A Flor de Lótus vai continuar sendo publicada enquanto minha força de vontade sobreviver, ainda não é um hiato, porém, vou publicar bem mais devagar pelo motivo citado: eu vou iniciar no blog mais duas webnovels. Uma delas é O Príncipe Caído, que já tem a página no blog há tempos. É uma novel puramente Dark Fantasy, então, se você curte, fica ligado que até final de semana posto o primeiro capítulo (grandão que nem os de A Flor de Lótus sim, média de 5k palavras (umas 20 páginas bem formatadas) – se reclamar eu faço de 10k ò.ó.

A outra webnovel é Picos da Desolação. Xuanhuan. Vai ser +18, com Extreme Violence, Potaria, Estrupo, Fodendo Filhos da Puta etc. Se você curte tu é meio doente e atravessarei a rua quando passar por você, MAS, se é desses então fica ligado que no máximo do máximo até metade da semana que vem também vem o primeiro capítulo por aí. Quanto a esta, serão capítulos de 1.5k palavras (umas 7 páginas), bem mais sossegado pra escrever e pra ler. Tão fica tranquilo que não vai ser aqueles monstrão de capítulo como em A Flor de Lótus e O Príncipe Caído (se tem gente que reclama pra ler, magina o empenho que é pra escrever, garotão!)

E como eu vou me virar com essa caralhada de novel? Vou ficar atrasando e enrolando pra postar capítulos? Não! Como disse, A Flor de Lótus vai ficar meio de lado; agora eu posto FL com capítulos divididos em 3 partes (de 1.5k palavras em média), então devo postar uma parte por semana, mais ou menos. Com O Príncipe Caído vou tentar ocupar o tempo de A Flor de Lótus, e postarei um capítulo por semana. E Picos da Desolação? Postarei de 1 a 2 capítulos por semana, dependendo da recepção que a novel tiver com vocês, o querido público. Portanto, se quer “novel X”, comente e curta “novel X” que saíra mais capítulos.

E eu não tenho vida, pra manter tantas novels? Ou farei tudo nas coxas? Nah, nah! Sempre me dedico ao máximo pra fazer um conteúdo legal. Se gostarão ou não aí é com ocêis. Mas que eu faço a minha parte, ah se sempre faço! Mas realmente consome bastante tempo e, acreditem ou não, cansa muito. É difícil demais manter uma vida e as novels prucêis. Portanto, farei uma conta no ideia.me, assim, se vocês gostam do meu trabalho, podem me ajudar a continuar com ele. Se você gosta e apoia meu trabalho, mas não tem grana pra ajudar, não se preocupe, não faço isso pelo dinheiro, um comentário de apoio às vezes faz toda a diferença! Mas, se você pode contribuir, pense que é como um ebook, só que todos podem ler e só paga aqueles que podem e acham que o conteúdo vale a pena. Mesmo que pouco, desde que eu consiga alguma contribuição por mês, eu vou colocar minhas novels como job fixo e me dedicar em voltar contudo em A Flor de Lótus e a postar mais capítulos de Picos da Desolação por semana; quem sabe até não consigo encaixar mais um projeto (heheh, falar é fácil)?

A princípio, estamos conversados!

Publicado em posts | Marcado com , | 6 Comentários

O Príncipe Caído – Capítulo 1: O príncipe de Bagdash

Ei! Chegou o primeiro capítulo deste drama épico! Hoje só passo para cumprimentar mesmo, sente-se confortavelmente e aprecie! See you!

Capítulo 1: O príncipe de bagdash

1.Com um céu tão limpo e um clima tão fresco após a última tempestade, claro que as quatro crianças se juntaram para suas aventuras.

Vocês sabem, né, que tem aquele poço lá atrás do castelo que é amaldiçoado, né? Jin questionou o bando, todos sentados no barbacã do castelo sentindo a brisa.

Que poço, Jin? Tem um monte de poços no castelo, Jin! Soraia, a garota pequenina com cabelo curtinho e franja no meio da testa esbravejou contra o irmão.

Soraia sabia que Jin contava muitas mentiras e se irritava com isso.

Não tem um monte de poço! Tem alguns poço pontuou a questão Simo, o garoto mais alto, com seus dez anos. Também era o mais responsável do grupo.

Tanto faz! Tem aquele poço, né! Aquele, né, que fica lá atrás do castelo, pra baixo da floresta, fora dos muro, né! Dessa vez foi Jin quem esbravejou. Continuar lendo

Publicado em Sem categoria | 3 Comentários

[FL] Capítulo 4: Dionísio

Capítulo 4 Dionísio.

1.Mesmo fomentando o crescimento e multiplicação das raízes com seu ki, ainda era um grande dano à floresta: era um manto de raízes enorme, mais comprido e bem mais largo do que a Naja Real Flamejante. Ainda que fosse mais colossal, ainda eram raízes, enquanto a naja era puro fogo e não se sentiu ameaçada, atacou Hadassa diretamente. O Manto de Raízes barrou a serpente como um escudo. Enquanto o Manto de Raízes ficava em chamas mas retinha a Naja Real por um curto tempo, Hadassa usou mais mudras alquímicos, das técnicas ocultas do clã Emim, e uniu várias árvores que se transformaram em um golem grandalhão com duas vezes a altura dela e um outro golem menos largo mas com mais de seis metros de altura. O primeiro golem correu até Marion, que encontrava problemas com a ruiva de yukata, e o segundo golem começou a socar aleatoriamente a cabeça da Naja Real Flamejante que agora incinerara o Manto de Raízes de Hadassa o golem visava acertar o Núcleo de Ki da naja, que devia estar na cabeça. Continuar lendo

Publicado em Sem categoria | 3 Comentários

[FL] Capítulo 4: Dionísio (3)

3.Mal havia chegado até Dionísio, viu a Naja Real Flamejante voltando. Não tinha ideia do que acontecera lá atrás, uma muralha de madeira se erguia às suas costas, mas tinha um péssimo pressentimento ao perceber o silêncio.

— Dionísio, meu querido!

Hadassa chacoalhou o corpo miúdo para acordá-lo. O garoto gemeu e Hadassa aceitou isso como uma graça: estava vivo, agora precisavam correr.

O pequeno garoto estava pesado, era anormal, mas Hadassa tinha forçado demais ao invocar a muralha. Sua fadiga estava acabada, só corria e sustentava tal muralha com a força de vontade. Sentia-se um zumbi.

Pow! Pow!

Ao ouvir — e sentir — uma cratera ser aberta na muralha, Hadassa deixou-a cair para ser erguida mais a frente de onde sentia uma fração do ki da Naja Flamejante.

Pow! Pow!

Repetiu o doloroso processo, as lágrimas caindo de agonia. Continuar lendo

Publicado em Sem categoria | 2 Comentários

[FL] Capítulo 4: Dionísio (2)

2.Sabendo que tinha que acabar de uma vez com um deles, Agni enfraqueceu um pouco a atenção de seu Terceiro Olho para derrotar Kuri, o maldito suporte.

Com isso em mente, a mercenária primeiro tratou de se livrar do incômodo golem que vinha a seu encontro de punhos cerrados e golpes velozes.

— Tudo bem então — disse, olhando para o golem e, antes rebatendo com a katana esquerda a lança de água que vinha ao seu encontro, depois, ao mesmo tempo desviando da segunda lança de água que era atirada no mesmo lugar, Agni voou em frente ao golem de madeira. — Passos da Katana Faminta — falou com o timbre da voz inalterado após passar pelo golem com um golpe invisível aos olhos humanos. Os pedaços do golem foram explodindo em parte, caindo ao chão como carvão.

Marion percebeu sua morte naquele golpe: mesmo as técnicas do clã Emim não eram páreas para técnicas cultivadas nos terrenos divinos, ou seja, ele não teria nenhuma vantagem em ataques corpo-a-corpo, e em ataques a distância a história era a mesma, entre as chamas de Agni e suas técnicas de água havia um abismo — afinal, Marion sempre se preocupara mais em cultivar as técnicas do clã do que a sua Natureza. Continuar lendo

Publicado em Sem categoria | 1 Comentário

[FL] Capítulo 4: Dionísio (1)

 Yo! Aqui está a primeira parte do quarto capítulo de A Flor de Lótus (farei um post explicando isso melhor depois, mas, basicamente, postarei os capítulos em partes primeiramente, e, depois, disponibilizo o capítulo completo. Cada parte tem em média 1.5k palavras). Desculpem a demora, uma dor desgraçada no meu ombro acabou me impedindo de escrever o quanto gostaria. No entanto, a parte 2 deve sai amanhã de noite ou segunda, então fique de olho. See you!

Capítulo 4  Dionísio (1).

1.Mesmo fomentando o crescimento e multiplicação das raízes com seu ki, ainda era um grande dano à floresta: era um manto de raízes enorme, mais comprido e bem mais largo do que a Naja Real Flamejante. Ainda que fosse mais colossal, ainda eram raízes, enquanto a naja era puro fogo e não se sentiu ameaçada, atacou Hadassa diretamente. O Manto de Raízes barrou a serpente como um escudo. Enquanto o Manto de Raízes ficava em chamas mas retinha a Naja Real por um curto tempo, Hadassa usou mais mudras alquímicos, das técnicas ocultas do clã Emim, e uniu várias árvores que se transformaram em um golem grandalhão com duas vezes a altura dela e um outro golem menos largo mas com mais de seis metros de altura. O primeiro golem correu até Marion, que encontrava problemas com a ruiva de yukata, e o segundo golem começou a socar aleatoriamente a cabeça da Naja Real Flamejante que agora incinerara o Manto de Raízes de Hadassa o golem visava acertar o Núcleo de Ki da naja, que devia estar na cabeça.

***

Os pedaços de madeira em chamas caíram em direção a Kuri e Marion como uma chuva de fogo; carregados do ki de Agni, eram cem vezes mais afiados que aço, cem vezes mais quentes que chamas normais e Kuri sofreu para repelir a Chuva de Fogo com seus trinta mudas insanamente rápidos de repelimento de ki, enquanto Marion — empunhando uma lança de água também dezenas de vezes mais afiada que aço — se lançava em defesa dos movimentos velozes e imprevisíveis das duas katanas flamejantes da ruiva até que a Chuva de Fogo acabasse. Continuar lendo

Publicado em Sem categoria | 2 Comentários

[FL] Prólogo: Davi Khnum (1-2)

1.Na virada de milênio, ano 1000 da Era Real, nascia o filho de um ferreiro e da bibliotecária chefe da Biblioteca Triângulo vermelho, uma das duas grandes bibliotecas da cidade Yoni.

A cidade Yoni fica no Império dos Quatro Lótus, terra de Natureza Elemental. Por isso, o ferreiro e a bibliotecária, que não eram Exceções, tinham Naturezas Elementares: ele era da Natureza Fogo e ela da Natureza Terra. Mas um ferreiro e uma bibliotecária não participam da guerra contra os Seres Negros, e poucos chegam a explorar suas Naturezas.

Mas ali estava o tesouro da família Khnum: um filho.

É um mundo difícil para se ter um filho. Mesmo assim, Ogun, ferreiro bruto, com massa corporal espessa e uma longa cabeleira amarrada em um rabo de cavalo, e Nix, uma linda mulher, de longos cabelos castanhos, olhos dourados e um semblante gracioso, se achavam as pessoas mais felizes desse novo milênio.

Nosso filho se chamará Davi!, decidiu Ogun. Davi, assim como o compositor de canções do século III, que ainda hoje em dia são muito repetidas em todos os cantos da Aliança dos Três Impérios.

Apenas três dias depois do nascimento de Davi Khnum, ele foi levado ao Templo de Yoni para que o Grande Sacerdote fizesse seu Batismo de Natureza. Continuar lendo

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário